10/10/17 por Lina Nakata

“Por que você trabalha?” - se fizermos essa pergunta às pessoas, é muito comum ouvirmos que é “para pagar as contas”. Nessa lógica, também costumamos pensar que oferecer maiores salários asseguram os funcionários nas suas organizações, assim como melhoram seu desempenho. Porém, tudo isso é um grande mito. Por mais que as pessoas gostem de dinheiro e apreciam os benefícios atraentes que lhes são concedidos, elas trabalham porque a sua atividade laboral tem um significado e uma importância para a sociedade, de forma direta ou indireta.

O trabalho faz parte de um processo social que muitas vezes contrapõe as pessoas e seus interesses. Trabalhamos sempre em troca de algo, recebendo uma parte da riqueza geral criada pela organização. Segundo Marx e Engels, sociólogos que trataram o tema de forma aprofundada, o trabalho é um elemento definidor do próprio ser do homem, pois o trabalho gera as condições reais de sua possibilidade de existência. Há uma relação entre o sujeito e a moeda de troca.

As pessoas, então, não deveriam trabalhar apenas por salários e benefícios. Por quê?

Primeiro, as pessoas não trabalham só por dinheiro, mas porque fazem algo que lhes dá prazer, é útil e faz sentido com o contexto envolvido. Diversos estudos mostram também que um aumento significativo de salário não gera maior satisfação nem maior produtividade. Inclusive, se existe trabalho voluntário, é porque muitas pessoas trabalham de graça, buscando o senso de realização como troca.

Segundo, não é interessante que as organizações ofereçam somente salários, pois os benefícios são complementares e tão importantes quanto os valores líquidos recebidos. Os benefícios têm um relevante papel fidelizador, sendo responsáveis por maior tempo de permanência dos funcionários nas organizações.

Terceiro, quando as pessoas trabalham com uma missão bastante clara e compram a ideia da organização, elas entendem que há um propósito que representa muito mais que qualquer salário.

Quarto, não há salários e benefícios que cubram um bom ambiente de trabalho. Trabalhar em organizações que prezam pelo seu clima organizacional não tem preço! As empresas que apresentam ambientes de trabalho com oportunidades de crescimento, qualidade de vida e alinhamento de valores são aquelas que mantêm seus funcionários mais satisfeitos, ou seja, com índices de confiança mais elevados.

Observem a tabela, que mostra a relação entre fator de permanência e índice de confiança, considerando as médias das melhores empresas para trabalhar no Brasil. Além disso, aqueles funcionários que estão na organização pelo fato de não serem demitidos são aqueles que mais se sentem insatisfeitos com o seu trabalho.

Fator de permanência

Respondentes

Índice de confiança

Oportunidade de crescimento

44%

90

Qualidade de vida

24%

87

Alinhamento de valores

14%

90

Remuneração e benefícios

14%

73

Estabilidade

2%

68

* 2% dos participantes não responderam nenhuma alternativa.

A sua organização também pode ser um great place to work e até estar entre as melhores para trabalhar. Vale a pena trabalhar com esse objetivo!