Deseja ver a sua empresa na lista? Inscreva-se!
1.facebook2.Twitter3.linkedin 4.Flickr 5.google plus 6.Youtube
Início Publicações e eventos Blogs e notícias Benefícios diferentes motivam funcionários

Benefícios diferentes motivam funcionários

Por Suzane G. Frutuoso, 09 de outubro de 2013 em Época 

 

Por lei, as empresas devem garantir a seus empregados Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), vale transporte, férias e décimo terceiro. Outros benefícios, como assistência médica, auxílio creche e bolsa de estudos, por exemplo, são opcionais. Podem, no entanto, ser obrigatórios dependendo de acordos coletivos com sindicatos. Para algumas corporações ainda é pouco. Elas apostam também em agrados para fidelizar os funcionários.

Muitas empresas já perceberam que negligenciar o capital humano é um erro. A insatisfação causa alta rotatividade de pessoal. O dinheiro se perde e os processos ficam lentos com a recorrente necessidade de treinar gente nova. “Em um mercado competitivo, corporações que oferecem algo a mais para seus funcionários são capazes de atrair e reter talentos”, diz Bruno Mendonça, consultor e analista de estudos do Instituto Great Place to Work (GPTW), que premia as melhores empresas para trabalhar.Na pesquisa GPTW 2013, 82% dos funcionários afirmaram confiar na credibilidade, no respeito e na imparcialidade dos seus gestores, orgulham-se de trabalhar onde trabalham e atestam que há um sentimento de camaradagem entre os colegas. Nas melhores, benefícios diferenciados são recorrentes.

rota do mar (Foto: Léo Caldas)

“Qualquer prática que ajude funcionários a equilibrar vida profissional e pessoal é válida”, diz Mendonça. Criar um clima informal melhora as relações no ambiente de trabalho. “Mas benefício diferente não garante motivação”, diz Denise Delboni, professora de relações do trabalho da Fundação Armando Álvares Penteado (Faap). Ela afirma que as iniciativas têm seu valor como complemento. “Só não substituem bônus, prêmios individuais, participação nos lucros.”

A permissão do uso de roupas casuais ou de sair um dia da semana mais cedo já são práticas bastante comuns. Portanto, não impressionam tanto como no passado. A empresa que deseja se destacar pode encontrar inspiração nas histórias a seguir. Dudalina e Rota do Mar, ambas companhias da área têxtil, criaram ações que oferecem aos funcionários a chance de viver momentos especiais.

Dia de Princesa

Com 85% de mulheres entre os mais de 2 mil funcionários, a Dudalina, de Santa Catarina, conhecida por suas camisas sofisticadas, criou há quatro anos o Dia de Princesa. A cada dois meses, em média, uma colaboradora é sorteada para uma transformação no visual. Além de dois looks com roupas da marca bolados por um personal stylist, a “princesa” da vez passa horas no salão de beleza. Ganha massagem, manicure, maquiagem, tratamento na pele e mudanças no cabelo.

“Ela é acompanhada o dia inteiro por alguém da nossa equipe. Se não é aqui de Blumenau, fica em hotel com um acompanhante”, diz Edison Vasques, diretor de marketing e branding da Dudalina. Se a participante é de uma cidade longe, vem de avião. “À noite, já toda produzida, a colaboradora tem um jantar com a pessoa que a acompanha, geralmente marido ou namorado.”

Vasques diz que a ação levanta a autoestima das funcionárias. Elas falam bem da experiência e a empresa se contagia com o clima positivo. Entre outras iniciativas da Dudalina estão a entrega de enxoval completo para as futuras mamães da corporação e a reforma da casa de funcionários indicados pelos próprios colegas.

Hora do sim

A ideia era preparar uma festa de debutante para filhas de funcionários. Mas numa pesquisa entre a equipe de 600 pessoas, a empresária Marta Ramos, da Rota do Mar, grife de street esurfwear de Santa Cruz do Capibaribe, Pernambuco, descobriu muitos casais que apenas moravam juntos. “Eles não conseguiam oficializar a união por causa dos custos.”

Há quatro anos, a companhia decidiu bancar o casamento coletivo de 15 casais de colaboradores pela primeira vez. A terceira edição, para o ano que vem, já tem lista de espera. Salão, bufê, fotógrafo, vídeo, decoração, música, direito a 30 convidados por casal. Tudo é pago pela Rota do Mar – valor em torno de R$ 40 mil.

casamento coletivo (Foto: Divulgação)

No cartório e na igreja eles ganham desconto para cerimônias e documentos. As roupas ficam por conta dos noivos. “O critério de escolha é baseado na estabilidade da união. “Avaliamos se os candidatos ao casamento estão num relacionamento sério, sólido”, diz Marta. Entre outros benefícios, a empresa oferece bolsa de estudos para cursos de idiomas, técnicos, graduação e especialização; direito a usar o mais bem equipado complexo esportivo da região gratuitamente e acompanhamento psicológico quando há necessidade.

 Leia mais

 
blog comments powered by Disqus

We welcome you to comment on this article!  Please use this public space respectfully and in alignment with our User Conduct Guidelines.

 

Siga-nos